Bicicletas Black Orange
Ciclistas pedalando no inverno com bicicleta no frio
Tipos de freio de bike

8 coisas para ficar de olho na hora de trocar de bicicleta

Vai andar de bicicleta no frio? Confira 10 dicas para pedalar no inverno

Guia completo: quais tipos de freios para bicicleta e para que eles servem?

É normal que surjam muitas dúvidas na hora de trocar de bicicleta. Mas se você não quer errar em sua escolha, confira aqui o que observar durante a compra.

Começar a pedalar muitas vezes é um ato sem investimentos. É extremamente normal vermos ciclistas iniciantes que resolveram apenas “tirar o pó” de uma magrela que estava na garagem. Que pegaram a bike emprestada de irmãos, parentes ou que adquiriram um modelo simples, apenas para o momento. Esse tipo de coisa acontece porque rodar por aí é um esporte acessível. Entretanto, à medida que você vai se descobrindo no pedal, suas necessidades como ciclista são identificadas. Assim, chega a hora de trocar de bicicleta. Você já sabe como fazer isso?

Para ajudá-lo nessa tarefa, separei neste conteúdo algumas dicas sobre o assunto. Ainda, ao final você confere mais informações sobre o upgrade de bicicleta. Fique por aqui e faça uma boa leitura!

Por que trocar de bicicleta?

Ciclistas com suas bicicletas

Na maioria das vezes, comprar uma magrela nova é motivado por situações como quebras, tempo de uso e perda. Contudo, ainda há casos em que a bike continua funcionando perfeitamente, porém, não é a mais indicada para aquilo que você busca em cima do pedal. Por isso, trocar de bicicleta é tão importante. Ter ao seu lado um veículo que acompanha seus objetivos nunca serão um arrependimento.

Ainda, os padrões da indústria mudaram. Hoje, por exemplo, temos centenas de novas tecnologias e acessórios que não existiam antigamente. Eles são ótimos para o ganho de performance, velocidade, diminuição de peso, entre outras características. Assim, se você não se atualizar, ficará para trás. E, convenhamos, ninguém quer comer poeira atrás dos outros atletas na estrada!

O que observar ao trocar de bicicleta?

O grande momento de escolher a bike nova chegou e, com ele, bate aquele frio na barriga. Você deve estar se perguntando, “será que vou conseguir encontrar a bicicleta certa?”. Para que essa dúvida não assombre seus dias, antes de tomar qualquer decisão veja a lista abaixo!

1. Defina um orçamento

O primeiro passo para comprar qualquer coisa é verificar o quanto você pode gastar. Ao trocar de bicicleta isso não é diferente. Porém, é importante lembrar que, além da bike, normalmente é preciso comprar mais algumas coisas para pedalar com tranquilidade. Então coloque em seu orçamento quais são os gastos totais e os específicos, com equipamentos para ciclismo, manutenção, entre outros.

Não é preciso dizer que bicicletas avançadas vão apresentar um desempenho melhor. Esse item faz muita diferença para quem quer treinar ou competir mais a sério. Por isso, são mais caras. Porém, atualmente até mesmo bicicletas mais simples apresentam um bom funcionamento. A tecnologia é tanta que mesmo a maioria dos modelos são desenvolvidos para oferecer qualidade e tranquilidade para o consumidor.

A Black Orange, por exemplo, coloca à disposição do ciclista modelos feitos em carbono, por um preço acessível. Isso permite que qualquer pessoa, mesmo aquelas que veem o ciclismo como um hobby, tenha uma magrela que entrega um nível superior em leveza e estilo.

2. Conheça o seu objetivo

Antes de sair por aí dizendo sim ou não para as bicicletas, o segundo passo é levar em consideração quais são os objetivos. Ou seja, aquilo que você pretende fazer. Agora que você já pedala há algum tempo, será mais fácil identificar isso e escolher sua categoria do ciclismo.

Enquanto alguns buscam um modelo de lazer para passeios, outros querem se locomover pela cidade. Da mesma forma, enquanto uma parcela das pessoas curte subir montanhas, outros gostam de girar em pistas em alta velocidade. E tudo bem! Você tem o seu jeito e não deve tentar adaptá-lo.

Todas as modalidades do ciclismo são ótimas. Mas independente da sua escolha, você precisará de um modelo diferente de bicicleta para pedalar melhor nos locais de destino. Então, minha dica é: descubra o que você mais curte, qual a sua meta na bike, estude sobre os diferentes tipos e a história da bicicleta. Só assim você poderá julgar um produto com total conhecimento.

3. Confira o tamanho do quadro

Poucas coisas são tão ruins do que se sentir desconfortável pedalando. Portanto, para que a sua volta seja boa e potente, sem prejudicar os joelhos, o quadro da bicicleta deve ser proporcional à altura do ciclista. Se você acompanha o blog da Black Orange, com certeza já conferiu um artigo que temos por lá explicando a diferença entre tamanhos de bike. Se não viu ainda, clique no link e não perca!

Mas voltando ao assunto, se tiver que escolher, vale mais a pena investir em uma bicicleta com um bom quadro e componentes medianos do que o contrário. Quando essa relação não é respeitada, a potência da pedalada e sua estabilidade são comprometidas. Além de serem maiores as chances de você desenvolver lesões. Por isso, independentemente da troca de bicicleta ser por um modelo novo ou usado, é indispensável observar essa dica.

Antes de comprar, procure fazer um teste e ande com a magrela por alguns minutos. Ainda, conferir as medidas pode lhe ajudar muito. Para fazer isso, fique descalço e com as pernas ligeiramente afastadas. Perto de uma parede, faça a marcação de onde deve estar o cavalo. Depois, meça a altura. Esse número pode ser utilizado como referência na escolha de uma nova bicicleta.

4. Faça um bike fit

Já que estamos falando em tamanhos e medidas, uma ótima dica é o bike fit – o ajuste da bicicleta para o ciclista. Essencial para a estabilidade e a potência da pedalada, ele permite que o condutor pedale na melhor posição possível. Dessa forma, ele consegue imprimir muita força sem perder o equilíbrio.

Essa técnica que alinha as medidas do corpo do ciclista ao formato da sua bicicleta, é um trabalho individualizado e cauteloso. Assim,  busca o equilíbrio entre o máximo de conforto e o máximo de desempenho. Através dela você encontrará a bike ideal para suas necessidades corporais e de performance.

Qualquer tipo de ciclista pode usufruir deste serviço, desde iniciantes até profissionais. Como você está indo para uma segunda magrela, com certeza já sabe como é importante sentir-se bem ao pedalar. Portanto, não perca tempo e faça um bike fit.

5. Pesquise e questione

Um dos principais cuidados que devemos ter ao trocar de bicicleta é pesquisar a reputação da marca do novo modelo. Se possível, busque conhecer a opinião de alguns usuários e de outros ciclistas que pedalam na mesma modalidade que você. Isso é essencial para assegurar uma compra satisfatória. Não tenha vergonha de questionar. Melhor fazer muitas perguntas no começo, do que lamentar depois.

No caso das bikes usadas, as precauções em relação à procedência são bastante amplas. Por exemplo, é essencial pedir a nota fiscal da compra. Quando o produto for adquirido em outro país e legalizado como bagagem acompanhada, é necessário solicitar o DARF – Documento de Arrecadação de Receitas Federais. Esta, é paga no próprio aeroporto.

Documentos assim comprovam que a sua bicicleta não é roubada. Além disso, eles permitem que você possa levá-la para outros países e retornar sem ser taxado na alfândega. Ou seja, são uma verdadeira garantia de segurança e economia.

6. Faça o registro da bicicleta

Comprar uma bike, não é apenas pagar e sair pedalando. Após adquirir sua magrela, vem uma etapa muito importante, o registro. Essa ação permite que os donos tenham chances reais de recuperar suas companheiras de aventura caso elas sejam furtadas ou roubadas.

Utilizando o número de série da bicicleta e os seus dados pessoais, os proprietários fazem o cadastro. Se ela for colocada à venda, alguém pode consultar as informações e descobrir se é um produto roubado. Por isso, se você comprar uma bike nova, deve registrá-la imediatamente.

Ah, se for usada isso também é necessário. Antes de comprar, nunca se esqueça de perguntar ao vendedor se ela é registrada. Se a resposta for positiva, pesquise e confira se realmente está no nome de quem está lhe vendendo, para não cair em uma furada. Mas se a resposta for negativa, faça o cadastro o mais rápido possível.

7. Avalie a pintura, cores e componentes

Comprar uma bicicleta usada e depois descobrir que a pintura escondia uma falsificação ou alguns arranhões é, no mínimo, incômodo. Portanto, não poupe sua preocupação com detalhes. Faça uma análise profunda em componentes como pneus, correntes, freios, aros, entre outros. Isso será fundamental para evitar problemas no futuro.

Nas novas, também é bom ter atenção. Afinal, trocar de bicicleta e depois se arrepender da cor escolhida é bastante incômodo. Por isso, avaliar bem esse aspecto é essencial. Ainda, essa questão também desempenha uma função relacionada à segurança. Bikes de cores diferentes são menos visadas por ladrões, pois a identificação delas é mais fácil do que daquelas de cores comuns.

8. Compre em uma loja especializada

A melhor escolha é sempre confiar em um especialista nessa área. Indo aos lojistas, além de conhecer de perto as bicicletas, você pode tirar dúvidas com os vendedores. Mesmo que a sua intenção seja em um produto usado, leve-o até a empresa ou peça à equipe para que lhe ajude na avaliação e na escolha dos componentes.

Lojas de ciclismo como a Bike Point, por exemplo, são como uma grande rede de conexão para os atletas. Logo, não tenha medo de ir até elas fazer perguntas, conhecer modelos, testar e conhecer as novidades. Nas redes sociais também há muitos ciclistas experientes auxiliando os mais novos.

Contudo, lembre-se de verificar se a pessoa que irá lhe ajudar realmente tem conhecimento e vivência na área. Busque avaliações, histórico e comentários. Com um bom parceiro a sua troca de bicicleta será, com certeza, muito mais certeira.

Upgrade ou troca de bicicleta?

Ciclista com uma bicicleta Black Orange

É comum que muitos ciclistas entrem em um dilema entre fazer um upgrade ou comprar uma bike nova. Pois bem, aí vai à solução: essa é uma pergunta que a resposta não é bem exata. Para entender melhor sobre o que deve ser colocado na balança para tomar a decisão, há vários fatores que você deve considerar. A partir disso, fica mais simples saber até que ponto vale o investimento em um upgrade ou uma bicicleta nova.

Um método simples para auxiliá-lo a descobrir se vale a pena melhorar a magrela ou partir para outra é aplicar perguntas e respostas objetivas:

  • Como minha bicicleta está configurada com a relação de marchas, suspensão e outros componentes?
  • O quadro da minha bike é simples, intermediário ou avançado em tecnologia, geometria e peso?

A partir dessas respostas, marque as melhorias que quer fazer e saia em busca das peças. Liste uma a uma e coloque na calculadora quanto sairá para deixar a sua bicicleta do jeito que você quer. Não há um número exato de até quanto em valor vale a pena fazer as mudanças. Porém, se a quantia chegar até 50% ou 60% do preço de uma bike zero, algumas coisas compensam. Acima desses números, o motivo para o upgrade precisa ser muito forte para recompensar.

Com as dicas e cuidados acima, certamente você conseguirá trocar de bicicleta com segurança, por um modelo adequado ao seu perfil físico. E isso será essencial para que as suas pedaladas sejam confortáveis e eficientes. Se o seu interesse for realmente fazer um upgrade, conhecer os componentes é indispensável.

No blog da Black Orange, preparei um conteúdo contando tudo sobre os tipos de selim para longa distância e para qual modalidade do ciclismo são indicados. Confira!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Postagens relacionadas