Ciclistas pedalando no inverno com bicicleta no frio
Pneu de bicicleta furado
Bicicletas Black Orange

Vai andar de bicicleta no frio? Confira 10 dicas para pedalar no inverno

Pneu da bicicleta furado e agora? Entenda como utilizar o remendo emergencial

8 coisas para ficar de olho na hora de trocar de bicicleta

O inverno chegou, mas isso não significa que o pedal precisa ficar de lado! Confira aqui algumas boas dicas para andar de bicicleta no frio, sem congelar.

Durante o inverno, muitas pessoas preferem andar por aí de carro e acabam deixando a magrela um pouco mais de lado. Entretanto, além de causar um trânsito ainda maior, deixar de rodar só por causa do clima não é necessário. Afinal, existem diversos hábitos que fazem a diferença na hora de andar de bicicleta no frio. Por isso, desenvolvi um guia completo sobre esse assunto, com as melhores dicas para quem vai se aventurar nos dias não tão quentes. Quer ver uma prévia?

Bicicleta no frio
  1. Organize sua bike;
  2. Aqueça seu corpo;
  3. Coma de forma correta;
  4. Invista em roupas e camadas;
  5. Faça a manutenção da bike;
  6. Seja visto;
  7. Tenha cautela e evite riscos;
  8. Controle o suor;
  9. Cuidado com a neblina;
  10.  Proteja os lábios e hidrate-se.

Se você não deseja ficar parado só por causa do tempo, venha comigo! Continue a leitura e descubra como se preparar para andar de bicicleta no frio com detalhes de cada um dos tópicos acima.

Por que se preparar para andar de bicicleta no frio?

Ciclista pedalando no frio

Embora o inverno na maior parte do país não seja muito rigoroso, adaptar o treino de bicicleta no frio é necessário. Planejar seus métodos, roupas e organizar trajetos irá garantir que seu pedal seja mais confortável e prazeroso. Contudo, em algumas modalidades como o ciclismo de estrada e do MTB, essa preparação é indispensável.

As condições se tornam mínimas e precárias  em dias mais amenos, sem que haja um isolamento térmico. Afinal, pegar regiões de grande altitude desprevenido não é uma boa ideia para ninguém. Mas agora que você já sabe de tudo isso, vamos logo ao que importa. Confira abaixo as minhas dicas pra rodar por aí sem passar sufoco!

1. Organize sua bike

Antes de sair de casa para pedalar, organize a sua bike para enfrentar as baixas temperaturas com mais tranquilidade. Uma das dicas importantes é liberar espaço no bolso da camisa de ciclismo. Vale comprar uma bolsa de selim ou um porta-ferramentas, que se encaixe no suporte de garrafinha. Durante o inverno, tomamos menos água e, algumas vezes, uma garrafinha é o suficiente para saciar nossa sede.

Com um acessório assim, você pode levar suas ferramentas, remendos e câmara reserva, livrando espaço nos seus bolsos para alimentos. E, acima de tudo, para as peças de roupa que você vai tirar caso o calor aumente no meio do trajeto. Essas pequenas mudanças de organização tornarão seu pedal mais confortável.

2. Aqueça seu corpo

No frio, a preguiça domina grande parte dos nossos dias. Mas não podemos deixar que ela tome conta. Se isso também é um problema para você, anime-se! Para começar, entre no ritmo. Assim como no verão, lembre-se de aquecer o corpo inteiro, pois as baixas temperaturas aumentam o risco de sofrer uma lesão.

A regra é iniciar o aquecimento aos poucos e aumentar o giro e potência com pouca intensidade com exercícios físicos. O cronograma deve seguir da seguinte forma: trabalhe a rotação das pernas e execute tiros curtos em alta RPM. Quando seu corpo estiver quente, faça acelerações em potencial elevado. O período de treino dependerá de como o seu corpo reagirá em relação aos exercícios. Na maioria dos casos, o tempo indicado é de 20 minutos. O ideal é descobrir o ideal para você junto com um treinador.

3. Coma de forma correta

Quando pedalamos no frio, gastamos muita energia e muitas calorias, que ajudam o nosso corpo a se manter aquecido. Por isso, é essencial comer corretamente. Só quem já passou por algum momento de ausência de alimento no pedal sabe como essa situação é complicada. Tendo a falta de energia como resultado, encarar subidas se torna uma missão quase impossível.

Contudo, esse não é o único risco, podendo gerar baixas no sistema imunológico. Por isso, minha dica para pedalar no frio é: procure um especialista que desenvolva um plano alimentar para o seu estilo de vida. Geralmente, em treinos mais intensos, consumir um alimento a cada meia hora de atividade é o ideal. Carboidratos, castanhas e outras fontes de gordura boas são ótimos para ajudar o ciclista a manter-se saudável.

4. Invista em roupas e camadas

Um dos maiores desafios em pedalar no frio é a falta de isolamento térmico. Pensando nisso, é importante que você considere o uso de roupas para pedalar e acessórios que possam lhe manter aquecido durante todo o percurso. Investir em camadas é a melhor opção para a estação mais fria do ano. Confira abaixo como utilizar roupas e equipamentos.

Luva para ciclistas no frio

Cabeça e pescoço

O corpo humano perde muito calor pela cabeça. Por isso, a maioria dos capacetes de bicicleta são desenvolvidos para melhorar a ventilação ao máximo. Entretanto, isso pode gelar você! Uma ótima pedida é manter-se protegido com uma touca, bandana ou, até, um boné de ciclismo por baixo do capacete.

Algumas pessoas utilizam máscaras no rosto que ajudam a manter quente e úmido o ar que é respirado – útil para quem sofre de sinusite. Para outros, proteger o pescoço é bastante importante. Bandanas no estilo EcoHead possuem múltiplas funções, são quentes, fáceis de lavar e de transportar.

Pernitos, manguitos, botinhas e luvas

Luvas de dedo comprido, capas térmicas de sapatilha, manguitos e pernitos são excelentes para os mais friorentos. Porém, podem ser demais para quem não sofre tanto com a baixa temperatura. Antes de investir em modelos mais caros com proteção para raios UV, compre um mais barato para testar.

Se você sente dores nos joelhos durante a pedalada, preste atenção para ver se elas não pioram no frio. Se este for o caso, vale a pena vestir um pernito mesmo que você sinta um pouco de calor. Afinal, preservar suas articulações é extremamente importante. No caso das luvas, aposte nos modelos específicos para bicicletas. Eles trazem a curvatura, acolchoamento e proteção ideal para o pedalar.

Camada de base

Camada base, também chamada de segunda pele ou base layer, é a peça a ser vestida primeiro, que fica em contato com a pele. Em geral ela não é retirada em nenhum momento, deixando o controle da temperatura para as camadas mais externas. Existem algumas específicas para ciclismo, de altíssima qualidade, feitas com tecidos que mantém o calor e expulsam a umidade.

De modo geral, é desejável evitar tecidos que fiquem ensopados ou que retenham o suor, já que ficar em contato com umidade fatalmente resfriará seu corpo. Porém, uma segunda pele feita de nylon também resolverá muito bem o problema. Lembre-se que existem várias opções de espessura do tecido e opções de manga. Escolha a que mais se alinha ao seu pedal.

Corta vento

Bicicletas movimentam-se em velocidade elevada. Por isso, mesmo que você use muitas roupas, existe a possibilidade de perder calor para o ambiente se não estiver com uma jaqueta ou um colete corta vento. Esta deve ser a camada mais externa a ser usada e também a primeira a ser retirada quando o tempo esquenta. A camada base e outras internas, tendem a ter tecidos mais respiráveis, que ajudam a expelir o suor, porém deixam o vento entrar.

Muitos modelos são leves e compactos, podendo ser enrolados e colocados no bolso da camisa de ciclismo. Podem ter zíper, manga comprida, manga curta ou mesmo não terem manga. Uma situação muito comum é retirar ou abrir todo o corta-vento nas subidas longas, onde a velocidade é baixa e mantê-los fechados nas descidas.

5. Faça a manutenção da bike

Levar a bike para revisões regulares é sempre uma boa ideia, principalmente se você for andar de bicicleta no frio ou em pisos molhados. Para começar, verifique os pneus em busca de pequenos pedaços de vidro que possam não ter causado uma perfuração, mas que se retirados podem acabar perfurando câmara de ar.

As paredes laterais dos pneus também devem ser verificadas regularmente, pois usar um pneu sempre umedecido causará desgaste excessivo do cordão lateral e poderá causar uma ruptura em um momento inoportuno. Verifique pastilhas de freio, os cabos e também dê atenção à sua transmissão. Lembre-se de que a operação do sistema de acionamento com muito lubrificante pode comprometer a eficiência, além de deixá-lo muito seco.

6. Seja visto

Antes mesmo de subir na bike, certifique-se de que as luzes estejam bem fixadas e posicionadas em locais em que os demais condutores as verão de forma clara. Aliás, tenha certeza de que você foi visto pelos carros ao sinalizar para sair, especialmente em manhãs frias. Em situações assim, os passageiros podem estar olhando através de um pára-brisas embaçado ou contra o sol.

Ser visto ainda requer que você utilize, além das lanternas e faróis, roupas com faixa refletiva e com cores chamativas. Esses detalhes deixam de ser acessórios e passam a ser essenciais quando é a sua vida em jogo.

7. Tenha cautela e evite riscos

Andar de bicicleta no frio e molhado pode ser muito divertido, mas certifique-se de fazer isso com segurança. Da mesma forma que na direção de um carro, você demora mais para parar, frear no piso molhado pode ter riscos devido ao acúmulo de água nos aros entre as pastilhas de freio e a superfície de frenagem. Certifique-se de levar isso em conta.

Além disso, as marcações nas ruas tendem a ser escorregadias quando molhadas. Tenha um cuidado extra, especialmente ao tracionar. Evitá-los é a melhor opção, mas se não houver alternativa, antecipe sua linha e velocidade. Curvas acentuadas sobre peças de ferro ou linhas pintadas, em média ou alta velocidade podem resultar em quedas.

8. Controle o suor

Em dias mais gelados, é extremamente importante manter-se seco, já que o vento e a umidade vão fazer seu corpo gelar. Se você está andando de bike em um ritmo muito intenso, desacelere um pouco. Ao praticar exercício físico em um ritmo pesado, seu corpo continua aquecido.

Uma boa dica para controlar bem o suor é: nas subidas mais longas e intensas, abra o zíper da jaqueta corta-vento e da camisa. Além disso, lembre que no topo da montanha, a temperatura será bem mais baixa. Já na hora da descida, o vento será maior.

9. Cuidado com a neblina

No frio, muitos locais ficam sujeitos à incidência de neblina, condição no qual a visualização do ciclista por outros veículos fica prejudicada. Por isso, evite circular em áreas movimentadas nesta situação. Um sistema de iluminação potente, de preferência com um refletor traseiro, será essencial para ter mais segurança.

Ainda, coloque em prática a dica número seis e invista em roupas que chamem atenção dos motoristas na estrada. Quanto mais você for visto, menor será o risco de acidentes durante o pedal.

10. Proteja os lábios e hidrate-se

Outra boa recomendação para o inverno é manter os lábios hidratados. Afinal, eles costumam ressecar com o vento muito gelado. Há protetores labiais que você pode levar junto da pedalada. Como são pequenos, eles não pesam e cabem direitinho na bolsa.

Além disso, apesar de não sentirmos tanta sede nos dias mais frios quanto no verão, é preciso sempre nos mantermos hidratados. Leve uma garrafinha de água na pedala e consuma sempre. Se não sentir muita necessidade, coloque alerta para lembrá-lo de beber. Por mais que você não sinta sede, estar hidratado faz a diferença no corpo.

O inverno chegou, mas isso não significa ser impossível andar de bicicleta no frio. Tenho certeza de que com as dicas acima você conseguirá praticar seu esporte preferido com muito conforto! Gostou desse conteúdo? Então siga as redes sociais da Black Orange e fique por dentro de todas as novidades, informações e melhores promoções do mundo das bikes!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Postagens relacionadas