Tipos de suspensão de bicicletas
Ciclismo para iniciantes

Guia completo: tipos de suspensão de bike e para o que elas servem

Ciclismo para iniciantes: o que eu preciso saber antes de pedalar?

É só a bike que importa? Exercícios físicos para melhorar seu desempenho no pedal

Ainda não sabe quais são os tipos de suspensão de bike? No artigo abaixo, apresento todas elas e como escolher a melhor para você. Continue lendo e confira!

Se você já pedala há algum tempo, com certeza, sabe a diferença de andar com uma bicicleta que possui suspensão ou não. Entretanto, além de entender na prática como este recurso pode lhe ajudar, conhecer seus tipos e a finalidade de cada um reflete diretamente na sua performance. Por isso, elaborei este artigo para que você descubra tudo o que precisa sobre a suspensão de bike.

Confira em detalhes sua finalidade, as partes que a compõem, tipos encontrados no mercado e muito mais. Fique por aqui e veja qual é a melhor opção para você. Boa leitura!

O que é uma suspensão de bike?

Bicicleta Black Orange

Assim como os carros e motos possuem um sistema para manter a estabilidade, na bicicleta isso não é diferente. Obviamente, o mecanismo de funcionamento é outro, mas o objetivo em si é o mesmo. A suspensão de bike é a peça que fica na roda dianteira da magrela. Ela se caracteriza como um conjunto de componentes que atua para garantir que as rodas estejam em contato com o solo.

Também, trabalha para que os impactos sejam sofridos de forma mais branda, oferecendo conforto ao rodar por diversas estradas e estabilidade em curvas. Portanto, contar com esse recurso no pedal oferece vantagens como tranquilidade ao transpor terrenos acidentados e fluidez nas pistas. Indispensável para um pedal tranquilo e satisfatório.

Como citado acima, um sistema de suspensão de bike é formado por diferentes peças. Basicamente, ele é composto de quatro partes: espiga, coroa, bengalas ou canelas e o monobloco. Conhecê-las é fundamental, pois cada uma desempenha um papel no funcionamento da bicicleta. Confira abaixo detalhes sobre elas.

Espiga

A espiga é a parte que integra a suspensão de bike ao quadro. É a barra cilíndrica que passa por dentro da caixa de direção e é instalada junto à mesa ou avanço. Hoje em dia, a maioria dos modelos usa um padrão chamado oversize aheadset. Ou seja, um sistema sem rosca com um diâmetro largo.

Há também as espigas do tipo cônica, ou no inglês tapered. Elas são feitas para quadros com tubo e caixa de direção cônicos. Esse padrão oferece rigidez ao conjunto dianteiro. Alguns tipos mais simples de suspensões usam essa peça em aço. Já nas mais avançadas, é comum vermos o uso do alumínio ou da fibra de carbono. Este último, vem sendo amplamente buscado por quem deseja mais leveza no peso final.

Coroa

A coroa é a base onde a espiga fica apoiada. Portanto, é responsável por conectá-la ao restante da suspensão de bike. Ela não possui tantos detalhes. Porém, em modelos profissionais, a tecnologia que é aplicada faz com que a rigidez do conjunto se torne maior.

Normalmente, as coroas são produzidas em aço. Contudo, pode-se encontrar versões avançadas que usam alumínio ou fibra de carbono, como nas espigas. Tudo dependerá do objetivo da bicicleta como um todo.

Bengalas ou canelas

Chamamos por este nome as hastes cilíndricas posicionadas em cada lado da coroa. Junto delas ficam os sistemas de amortecimento da suspensão. Eles podem ser de elastômero, mola, ou ar e óleo.

Em grande parte dos modelos, as bengalas vêm com a cor de alumínio polido. Entretanto, mesmo carregando esse tom, podem ser feitas de aço. Há outros em alumínio, ou ainda com magnésio – metal leve e que rende bons ganhos de rigidez ao conjunto.

Monobloco

Essa é a parte inferior da suspensão de bike. Aqui é onde as bengalas são encaixadas, e também, acontece a ligação deste recurso com o eixo e rodas dianteiras. O monobloco, como o nome diz, é uma peça única ligada por um arco, que dá rigidez à estrutura. Assim, ele evita que a suspensão torça a ponto de se romper. 

A maior parte dos modelos para uso simples e amador tem o arco na frente. Porém, há suspensões com o utensílio na traseira e, até, em ambos. Essa peça pode ter encaixes em diferentes milímetros, sendo que os mais largos proporcionam maior rigidez. Basta que você tenha o cubo dianteiro certo para cada eixo.

Quais tipos de suspensão de bike existem?

Mesmo que nem todas as bicicletas possuam este recurso, a suspensão de bike foi criada para trazer segurança e conforto nas pedaladas. Com isso, elas proporcionam maior controle em percursos com obstáculos ou ao pedalar em alta velocidade. Portanto, correspondem a um item que, com certeza, agrega aos treinos de pedal.

Aliás, você sabia que existem algumas modalidades de ciclismo em que não é possível praticar em uma bicicletasemsuspensão? Por isso, é muito importante que você conheça os tipos disponíveis no mercado para escolher um modelo que atenda as necessidades do seu treino. Existem três tipos de suspensão de bike: hidráulica, de molas e com elastômeros. Veja abaixo mais informações sobre cada um.

Elastômero

Suspensão elastômero bike

Vamos começar com a suspensão com elastômeros, que é um tipo bem básico e leve. Esse modelo funciona com um tipo de borracha de poliuretano (elastômero), molas e o preload em seu sistema de amortecimento. Sua única regulagem é a de compressão da mola, deixando-a mais dura ou mole, conforme o pedal que você fizer.

Este é um dos tipos de suspensão de bike mais antigos. Portanto, quase não é visto em bicicletas novas. Afinal, não possui muitos recursos de ajuste. Sua principal vantagem é o preço, pois gera um sistema considerado barato. Mas se você o escolher, precisa estar atento a um cuidado: nunca usar graxa comum para lubrificá-lo. Este produto contém lítio em sua composição e isso pode acelerar o desgaste das buchas e da própria suspensão.

Mola

Suspensão mola bike

Essa é uma versão duplicada da opção com elastômero. Ela trabalha com uma mola longa em cada bengala e podem ser comprimidas também. Uma suspensão de bike assim tem, basicamente, cabeça (com ou sem preload), capa antirruído e as molas em seu sistema de amortecimento. Entre as grandes vantagens desse recurso está a possibilidade de personalizar a suspensão conforme o seu peso. Para realizar o ajuste, basta girar o preload no sentido horário e deixar as molas comprimidas. Já no sentido anti-horário você afrouxa a carga.

As molas constituem um sistema muito conhecido e utilizado pelos ciclistas. Contudo, não é indicado para modalidades de ciclismo em que a bicicleta sofre impactos intensos, como o mountain bike. Isso porque seu sistema é mole diante de terrenos acidentados, fazendo com que a bicicleta pule muito ao se comprimir nas irregularidades do percurso.

Para a manutenção, esse material deve ser lubrificado com graxa específica que facilite o seu funcionamento. É importante fazê-la com frequência para reduzir os atritos entre as buchas e hastes, além de evitar que a suspensão trave e perca sua mobilidade. Caso isso aconteça, será preciso prender as bengalas no arco de ligação com o pé e puxar o guidão na direção contrária. Caso esse movimento não resolva, será preciso abrir a cabeça e inserir mais fluido.

Ar e óleo

Suspensão ar e óleo bike

Essa suspensão de bike, sem dúvidas, é a mais eficiente entre os modelos existentes. É a mais moderna e complexa, contudo pode ser considerada inteligente, pois utiliza o ar para ajustes e calibragens. Dessa maneira proporciona maior conforto nas pedaladas. Altamente eficaz na hora de amortecer impactos, o sistema é composto pelas seguintes peças: cartucho hidráulico, interruptor e retentor. Ainda, fazem parte a válvula hidráulica, espuma, ajuste de retorno, êmbolo de ar, válvula de calibragem, buchas e tampa.

Na bengala esquerda fica a câmara de ar, que pode ser calibrada de acordo com o peso do ciclista. Do lado direito fica o sistema hidráulico, com ajustes de compressão e trava. Esta última é ótima para realizar subidas e sprints, pois deixa a suspensão rígida e melhora a eficiência das pedaladas. Também, há um terceiro ajuste que é o controle de retorno. Esse mecanismo fica do lado direito, embaixo do monobloco. Ele faz com que a suspensão de bike volte ao seu curso total em maior ou menor velocidade.

Outro ponto relevante é que, neste sistema, há uma bengala para a calibragem com válvula e outra com o êmbolo de ar. Versátil, ele apresenta mais opções de recursos, sendo possível calibrar a suspensão conforme o peso do ciclista, alterando o tempo de retorno dos choques. Para os especialistas, esse é o único sistema que proporciona o amortecimento real. Com ele, é possível fazer ajustes para ter o conforto ideal nos braços, tronco e punhos.

Por ser superior, a suspensão de bike hidráulica é a mais utilizada no MTB. Com um sistema que ajuda a bicicleta a não retornar quando está em subidas, ela faz a diferença para superar obstáculos e encarar percursos íngremes. Entretanto, por apresentar tantos benefícios, também precisa de manutenções mais frequentes. Logo, é recomendado realizar a revisão periódica, conforme indica o manual do fabricante do seu modelo de suspensão. Essa é uma informação muito importante, pois o desempenho deste recurso é medido por tempo de uso.

Há alguma dica para o uso da suspensão de bike?

Suspensão de bike

Quando falamos em ciclismo é importante idealizar qual é o seu objetivo. Portanto, conhecendo os modelos de suspensão de bike, será mais fácil focar naquele que é relevante para você. Contudo, antes de comprá-lo, verifique mais algumas dicas úteis abaixo:

  • Considere seu objetivo no pedal: cada modalidade do ciclismo possui um tipo de suspensão que se encaixa melhor. Porém, apenas a teoria não adianta. Para fazer uma boa escolha o ideal é que você vá até uma loja, converse com os vendedores e teste os recursos.
  • Realize um ajuste por vez: os ajustes da suspensão de bike devem ser sempre progressivos, ou seja, uma mudança feita de cada vez.  Desse jeito, você perceberá melhor como a peça se comporta em diferentes configurações.
  • Deixe a manutenção em dia: leve sempre a sua suspensão em uma oficina com manutenção especializada, para que os reparos e limpeza sejam feitos. Cada modelo tem frequência e utiliza um produto específico. Você pode encontrar essas informações em seu manual. Mesmo que sua peça seja simples, o cuidado constante agregará segurança ao seu pedal.

Pronto para rodar? Espero que este conteúdo sobre a suspensão de bike gere a você uma experiência ainda mais confortável em suas jornadas. Falando nisso, você já conhece as bicicletas da Black Orange?

Unindo segurança, experiência e tecnologia, elas proporcionam ao ciclista um novo nível no pedal. Seus componentes em carbono são a escolha certa para quem deseja pedalar com leveza, sem perder em desempenho. Acesse nosso site, descubra todos os modelos e invista naquele que melhor se encaixa aos seus objetivos.

Ah, se quiser continuar vendo conteúdos como este, siga nosso Instagram. Por lá você acompanha todas as novidades do ciclismo e aproveita promoções imperdíveis. Até mais!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Postagens relacionadas